BOI ARROBA


apresenta

BOI ARROBA

Concepção

O espetáculo Boi Arroba foi concebido em março de 2013 pela Companhia Arteira a partir do desejo de vivenciar e oferecer ao público o contato com  elementos do auto do Boi-Bumbá: a lenda sobre a morte e ressurreição do  boi, símbolo de força, resistência e poder da vida sobre a morte, a música e a dança características desta manifestação popular, a fé e religiosidade, expressando a originalidade e o sincretismo dos povos formadores da cultura brasileira.
Segundo Américo Pellegrini Filho, folclorista da Universidade de São Paulo (USP),"o boi é um dos folguedos mais representativos da cultura brasileira, pois reúne traços de três grandes ramos da formação do nosso povo: europeu, indígena e afro-negro". 



O texto, autoral e de construção coletiva, congrega elementos do auto do boi do Maranhão, região Nordeste, com os personagens Catirina e Pai Francisco (Nêgo Chico), o Boi e a Burrinha, o amo, o médico branco, o pajé e a rezadeira, cantorias de bois de diferentes regiões do Brasil, e a execução do Mineiro-pau típico da região Sudeste. É um espetáculo inspirado na estética da cultura popular e pode ser realizado tanto em palco italiano quanto em semi-arena, praças, galpões ou quadras esportivas.
 


               

Sinopse


Para atender ao desejo de Catirina, a esposa grávida, Nêgo Chico corta a língua do Boi Arroba, um animal com dotes especiais. Ao chegar de viagem, vendo seu boi à beira da morte, o amo convoca Nêgo Chico, sem desconfiar de seu envolvimento no caso, para buscar ajuda. Assim, médico, rezadeira , pajé e até mesmo um técnico em informática tentam, fazendo uso de seus conhecimentos e das sabedorias populares, ressuscitar o Boi Arroba. Mas o bumba-meu-boi, o boi-bumbá, é um boizinho brasileiro e é com a alegria de seu povo que ele volta a dançar.
Nesse brinquedo popular que enlaça a sátira, a comédia, a tragédia e o drama com o tema da morte e ressurreição do boi, a Companhia Arteira apresenta ao público um espetáculo com dança e músicas executadas ao vivo pelos atores, com instrumentos que promovem a qualidade sonora característica da manifestação folclórica abordada.



Ficha técnica
Espetáculo construído coletivamente pela Companhia Arteira
Direção - Gabriela Ribas
Concepção – Companhia Arteira
Figurinos – Nívea Semprini
Elenco - Mariane Canella, Gabriela Ribas, Nívea Semprini, Gero Band, Silvia de Araujo, Jerônimo Nunes, Maylla Nideck, Maria José Silva 



                 
AGENDA
- Cine-Teatro Paschoal Guida, Cachoeiras de Macacu - RJ, 01/09/2013
- Projeto Tempo de Ser Feliz, Nova Friburgo - RJ, 31/10/2013
- Oficina –Escola de Artes de Nova Friburgo - RJ, 28/11/2013
- Tribuna Livre Cultural, Lumiar -RJ, 20/7/2014
- Festival de Inverno do Sesc,  dias 29, 30 e 31/7, contemplando os bairros de Riograndina, Amparo e centro da cidade de Nova Friburgo
- Papucaia, Cachoeiras de Macacu - 23/06/2015
- SESC Nova Friburgo - 23/08/2015
- Teatro Municipal Laércio Rangel Ventura - 27 e 28/08/2016


             




Nenhum comentário:

Postar um comentário